A propósito dos fuzis na eleição do Rio. Homenagem ao malandro.


Malandro da Common Law ou da Civil Law?

Boa Ventura de Souza Santos, um dos tantos papas da Sociologia, meteu-se a escrever sobre uma favela carioca. Como bom português, levou a sério a empreitada e foi morar na comunidade do Jacarezinho durante alguns meses. Saiu de lá com uma ótima tese – escrita e vivida – traduzida em um ordenamento jurídico paralelo que surge dentro da comunidade, e que se sobrepõe ao ordenamento jurídico do Estado brasileiro.
Houve quem risse, como quem ri de uma piada de português.
“É óbvio que um ordenamento jurídico só poderia ser implantado por um poder estatal. Poder estatal tem que ter soberania”. E por aí vai a criação de buracos na teoria.
Como o míope demora a fazer mira, vai a lição da turma que já tem até fuzil: [Estado ~= soberania + território + povo]

Decompondo esta teoria, temos:
Soberania = mandar (ordenar as relações) em um território.
Território = região delimitada
Povo = Povo, gente, massa.

Para quem gosta de juridiquês: Estado é uma ordenação de pessoas, territorial, “dotada de poder de mando originário”.

De onde deriva o poder do traficante que manda o candidato sair da favela, que controla distribuição de gás, que toma parte na expulsão do exército do morro? De nenhum lugar, por ser poder originário.

A verdade é que a piada já era batida, mas precisou ser contada pela primeira vez por um português para ganhar atenção pois “a verdade está lá fora”. Na doutrina nacional, quem prestou atenção já estava cantando faz tempo:

“Malandro, você toma conta da favela
É você que espanta a fera que vive assombrando a gente
É que você é o malandro consciente
É que você é o malandro consciente

Você ajuda a nossa comunidade
Não deixa que o nosso salário de miséria
Mate de fome os filhos da gente
Você dá leite para as crianças
Remédio para quem está doente
E comida para os mais carentes
Ainda dá uma segurança total
Aquilo que a favela nunca teve
Que é assistência social

Ainda dá uma segurança total
Aquilo que a favela nunca teve
Que é assistência social”
Parabéns bom malandro” (Bezerra da Silva, Malandro Consciente, há bastante tempo)

Anúncios

Uma resposta para A propósito dos fuzis na eleição do Rio. Homenagem ao malandro.

  1. AlexM disse:

    Your blog is interesting!

    Keep up the good work!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: